A depressão (ou transtorno depressivo maior) é uma condição que acomete cerca de 8% da população mundial. É estimado que dois terços dos pacientes não se dão conta que possuem uma condição de saúde com possibilidade de tratamento e melhora dos sintomas, isso pode ser explicado em grande parte por preconceito e um entendimento errado das pessoas sobre o que é a depressão. A depressão jamais deve menosprezada e considerada “frescura” – Esperar que um paciente depressivo simplesmente vai “pensar positivo” e melhorar seu humor, é como esperar que seja possível um paciente com uma perna quebrada consiga se levantar e correr uma maratona porque “ele quer muito”. O paciente com transtorno depressivo maior não possui controle sobre seu humor e motivação: Ele não precisa de julgamento e críticas, ele precisa entender sua condição e ajuda para buscar tratamento.

O desenvolvimento de síndromes depressivas possui uma forte influência genética, mas fatores sociais, ambientais e relacionados a outras condições de saúde também são importantes.

O transtorno pode se mostrar de muitas formas, dependendo da personalidade, história pessoal e relações de cada pessoa:

- Pessoa mais “quieta” e menos ativa que o habitual

- Desânimo e tristeza (melancolia) sem que a pessoa identifique um motivo específico

- Perda do prazer em realizar atividade que a pessoa gostava anteriormente

- Redução da velocidade de raciocínio

- Redução da capacidade de memória e concentração

- Irritabilidade sem motivo aparente

- Sensação de “não valer nada”

- Insônia, ou estão sonolência frequente

- Alteração do apetite (para mais ou para menos)

 

O tratamento habitual não envolve somente medicações - A psicoterapia e atividade física também são essenciais. Infelizmente, algumas pessoas mesmo assim não apresentam boa resposta ao tratamento (ou apresentam muitos efeitos adversos com o uso das medicações habituais). 

 

É somente nesse segundo caso que as terapias com CBD se encaixam.